27 setembro, 2017

La Scuola Italiana: minhas primeiras impressões sobre a escola na Itália

Buongiorno!

Vir para a Itália em definitivo foi um processo de tomada de decisão e muito planejamento. E o fator de maior peso e importância para mim foi, além do trabalho, a inserção da minha filha na escola italiana.

Um ano e meio antes de nos transferirmos, minha filha começou a frequentar um curso de italiano no Brasil. Porém, muito também por conta da idade dela (9 anos na época), a didática do curso sempre foi muito lúdica. É clara a importância desse primeiro contato com a língua que ela teve ainda no Brasil: já sabia as cores, animais, principais frases de apresentação e alguns verbos. Mas não posso dizer que ela veio para a Itália falando o italiano.

Dito isso, a decisão da transferência teve essa preocupação: ela entrará no quinto ano de uma escola sem falar o idioma. Uau! Assusta! Ainda mais porque não encontrei muitas informações na internet antes de vir. O que li muito no site do Ministério da Educação Italiano (site MIUR) foi acerca de uma constante preocupação do governo em inserir as crianças na cultura italiana e muitas ações voltadas para o aprimoramento e capacitação dos professores. E assim viemos!

No dia 7 de setembro a minha bambina começou na escola. Hoje, com apenas 20 dias, já colho algumas primeiras impressões que compartilho aqui:

Escola na Itália


Modalidade da Escola

Minha filha frequenta uma escola estatal, que compõe um Instituto Compreensivo da cidade onde resido. Desse Instituto fazem parte uma escola da infância (inferior à primeira série), três escolas primarias, incluindo a da minha filha (da primeira à quinta série, correspondente ao ensino fundamental I do Brasil) e uma escola secundária de primeiro grau (da sexta à nona série, correspondente ao ensino fundamental II do Brasil).

Horário Escolar

De forma facultativa, os pais escolhem entre período normal e estendido. O normal inicia às 8:30 e termina às 12:30 com 15 minutos de pausa. O estendido termina às 16:30 com 15 minutos de pausa e duas horas de almoço.

Facilidades Referentes ao Horário

Pais que precisam podem optar pelo pré e pós escola, ou seja, as crianças podem ainda entrar uma hora mais cedo ou saírem uma hora mais tarde, de acordo com a necessidade dos pais e opção pré solicitada à escola.

Almoço

Escola na Itália


A mensa, ou o almoço na escola, é um dos fatores que mais me chamou a atenção até o momento. Desde o primeiro dia de aula que minha filha volta para casa elogiando muito o sabor e a diversidade do cardápio. Essa semana recebi o menu do almoço e algumas coisas me chamaram bastante atenção.

Recebi por meio da agenda uma circular sobre o serviço de restaurante da escola, que faz questão de evidenciar que o menu é desenvolvido e validado pelo Ministério da Agricultura Italiano, pelo Instituto Nacional de Nutrição da Itália e pelo Departamento de Saúde da Região da Lombardia.

Nesse mesmo material recebi instruções sobre as demais refeições que ela faz em casa: café da manhã e jantar. As instruções são relacionadas à quantidade de calorias que devem ser ingeridas por refeição para a idade dela, assim como quais tipos de alimentos devem ser consumidos visando o equilíbrio do consumo de proteínas, carboidratos, fibras, etc.

Além disso, recebemos também o menu do ano que se divide em cardápio de inverno (onde os pratos são diferentes todos os dias da semana e só se repetem depois de oito semanas) e o cardápio de verão (onde os pratos também são diferentes todos os dias e só se repetem depois de quatro semanas).

Todos os dias as refeições são compostas por um primeiro prato (massas, risotos, polenta, sopa), pelo segundo prato (carne, peixe ou frango), além do contorno (legumes e pães) e da salada (verduras, batata, tomate, mussarela) e uma sobremesa (bolo, fruta, sorvete, iogurte).

O valor que se paga é de 4,80 euros por ano, ou seja, menos de 20 reais por ano! As famílias com renda inferior à 15 mil euros por ano podem também solicitar a isenção do pagamento da mensa, mediante apresentação de imposto de renda.

Também é possível fazer solicitações junto à secretaria escolar de opções por cardápios diferenciados, como por exemplo para crianças vegetarianas, crianças com restrições religiosas à determinados alimentos ou mesmo restrições alérgicas.

Material escolar e Livros

Os livros didáticos são financiados pelo Governo Italiano. São solicitados antes do ínicio das aulas  de forma gratuita em papelarias credenciadas para recebê-los e entregá-los aos pais, por terem acordo com os órgãos estatais de educação e com os livreiros.

A lista de material, bastante simples se comparada à do Brasil é composta basicamente por cadernos (de pauta e quadriculados), folhas de pauta e quadriculadas e itens para uso diário como canetas, lápis, borracha, lápis de cor, régua, tesoura e compasso. A relação completa da lista de material escolar da minha filha (quinto ano) saiu por 54 euros.

A agenda é fornecida pela escola e de muito boa qualidade por sinal.

Escola na Itália


Uniforme

Para a alegria das crianças e desespero dos pais, as crianças não têm uniforme! Usa-se apenas um tipo de avental preto por cima da roupa, o famoso "grembiule". No início odiamos (eu e minha filha), mas agora já estamos acostumadas. Todas as crianças usam a capa (ou avental, ou jaleco) que ajuda bastante a proteger a roupa dos respingos de tinta ou comida. Vou confessar que nunca tinha visto a peça e fiquei bastante resistente no começo (rs), parece algo muito anos 20 na primeira impressão. 

Fonte: EBay
"Grembiule": avental usado pelas crianças na escola em substituição aos uniformes
Pullman

O ônibus escolar, chamado por aqui de pullman ou scuolabus é outra facilidade oferecida aos pais que não podem pegar ou deixar as crianças na escola. O valor anual é de 262 euros e deve ser solicitado diretamente no comune por meio de módulo de serviços.

Outras curiosidades

Todo dia minha filha tem meia hora (no mínimo) de acompanhamento da tutora no que diz respeito ao aprendizado da língua. Além de frequentar todas as matérias juntamente com as demais crianças ela recebe a atenção da pedagoga para agilizar o aprendizado da língua italiana até ela estar fluente no idioma.

A Itália tem um esforço muito grande em inserir as crianças estrangeiras na escola, assim como na cultura e vida italiana em geral. Por isso, existe um limite máximo de 20% de alunos estrangeiros ou com dupla cidadania que ainda não dominam o idioma por turma. Na sala da minha filha são 22 crianças sendo ela ítalo-brasileira, duas paquistanesas e um chinês. Os outros 18 alunos são italianos.

Também por essa diversidade e realidade italiana na absorção de crianças de outras culturas as aulas de religião católica são opcionais. Por sermos católicos, minha filha frequenta normalmente essas aulas, mas as crianças paquistanesas, por exemplo, fazem nesse período outros tipos de aulas eletivas.

Bom, como falei, essas foram as primeiras impressões dos primeiros (APENAS) 20 dias de aula. Conforme for fazendo novas descobertas, compartilho por aqui!

Arrivederci!

Nenhum comentário:

Postar um comentário