05 julho, 2017

Alugando carro na Itália: minha experiência

Buongiorno tutti!

Desde que cheguei à Itália aluguei carro aqui duas vezes: a primeira para vir do aeroporto até a casa com as malas quando viemos de mudança do Brasil e a segunda para comprar os móveis e eletrodomésticos quando me mudei do Airbnb para a casa definitiva.

Na primeira vez aluguei pela Locauto ainda pelo Brasil. Fiz a escolha pelo site da Rental Cars (site tipo Trivago, mas ao invés de hotéis você escolhe as melhores opções para o aluguel de carros). Já da segunda vez fiz o aluguel pela JoyRent Italy.

ALUGAR CARRO NA ITALIA


Experiência pela Locauto


ALUGAR CARRO NA ITALIA


Pontos Fortes:
- Fiz o contrato de locação ainda do Brasil, o que me deu bastante tranquilidade por saber que chegaria aqui e teria o carro à minha disposição;
- Alugar antes também confere um preço diferenciado, inferior ao de balcão;
- Ótimo atendimento do atendente e do rapaz que fez a revisão do carro no aeroporto di Torino;
- O atendente, vendo a quantidade que eu tinha de malas, me ofertou um update sem custo adicional (tinha reservado um Golf e peguei um Opel Astra SW);
- A CNH nacional foi aceita na entrega do carro.


Pontos Fracos:
- Como em qualquer outra locadora, paguei uma taxa adicional para devolver o carro em outra localidade (60 euros), diferente daquela onde retirei. Isso porque meu voo vinha para Torino e dali até Milão (150 km) não valeria a pena eu voltar para devolver o carro;
- Caso você opte por não fazer o seguro do veículo (o que definitivamente não vale a pena correr o risco) será bloqueado no cartão um montante de até 1.500 euros, dependendo da categoria do carro. Com o seguro (de 17 euros) esse valor caiu para 450 euros de bloqueio no meu cartão.

Dica! Lembre-se de desbloquear seu cartão para o uso no exterior! E lembre-se que o limite deve compreender a conversão do valor estipulado para o bloqueio em reais, ou seja, para um bloqueio de 1500 euros seu cartão deve ter um limite disponível de aproximadamente 5500 reais.

Experiência pela Joy


Pontos Fortes:
- Pré reserva também realizada pela internet e valor da diária super em conta: com seguro, paguei 33,00 euros em um Opel Corsa para um dia.
- A taxa de bloqueio no meu cartão foi de apenas 150 euros, visto que contratei também o seguro;


Ponto Fraco:
- Reservei um C3 a Diesel e no balcão havia apenas um Corsa a Benzina (gasolina) disponível. Mesmo sabendo dessa possibilidade, visto que ambos são da mesma categoria, o Corsa não oferecia algo que eu precisava: o rebatimento do banco traseiro bipartido (para carregar minhas compras e minha filha no banco traseiro rsrs);
- Atendimento da loja na Estação Centrale de Milão muito fraco! Cheguei no horário e dei com a cara na porta. A atendente havia levado um outro carro na garagem, fechou a loja e não deixou nenhum recadinho do tipo "volto logo". Depois de uns dez minutos resolveu aparecer;
- A carteira CNH simples não era aceita. Tive de apresentar a PID (Permissão Internacional para Dirigir) que tirei no Detran do Brasil;
- Pelo fato do carro ser a benzina lá se foram mais 27 euros de combustível  para devolvê-lo com o tanque cheio (rodei aproximadamente 130 km, na cidade e estrada, com o carro pesado, bem carregado). Se tivesse pego um veículo a diesel essa mesma quilometragem teria consumido 15 euros.

Dica! A reserva feita previamente pela internet, a carteira de habilitação e o cartão de crédito devem ser todos em nome da mesma pessoa, ou seja, do motorista principal.

Curiosidade:
Alguns carros mais novos não vêm com step! Não se assuste! Eles são equipados com um kit reparo para aplicar diretamente no pneu em caso de avaria.

Fato é que não há muita diferença no modo de alugar carro para o que estamos acostumados no Brasil, basta se atentar aos detalhes e tudo sairá super bem!

Nenhum comentário:

Postar um comentário